Sisu

Ingressar em uma faculdade pública é o objetivo de muitas pessoas e não é fácil. Para conseguir é preciso muita dedicação para obter uma boa pontuação no Enem, válida para realizar a inscrição no Sisu, que é a principal forma de entrar na universidade pública, portanto as vagas são muito concorridas em todo o Brasil. Nesse artigo você fica sabendo os principais detalhes de como funciona o Sistema de Seleção Unificada.

Marca do Sisu.
Pela seleção do Sisu é possível ingressar em uma faculdade pública.

O Sisu 2019 faz parte dos programas do governo e é gratuito, pois o estudante não paga taxa de inscrição e fica isento das mensalidades. A seleção dos candidatos é feita a partir da nota de corte obtida no Enem. Quem participa tem a possibilidade de se inscrever para instituições públicas (universidades e institutos tecnológicos) de todo o país sem precisar se deslocar para outra cidade/estado para realizar o vestibular.

Com todos esses benefícios, o programa ajuda todos os anos a tornar o ensino mais democrático ampliando o acesso de estudantes, principalmente os de baixa renda, a realizar um curso superior. Além da vivencia acadêmica na possibilidade de ingressar em projetos e extensão, contribuindo assim para ter um rico currículo.

Pelo Sisu, o interessado pode se inscrever a uma das três modalidades de cursos nas faculdades públicas: bacharelado, licenciatura e tecnólogo. No curso de bacharelado o estudante terá a formação generalista com conhecimentos em sua área e profissão, com duração média de 3 a 4 anos e confere o título de bacharel. No curso de licenciatura o estudante terá em sua formação matérias mais especificas relacionadas para aspectos pedagógicos habilitando para atuação como professor. Tem duração média de 4 anos. Já o curso de tecnólogo a formação é mais focado na área e são mais rápidos, com duração de 2 a 3 anos, voltado para aqueles que querem inserir logo no mercado de trabalho.

Instituições públicas de todo o país estão disponíveis pelo Sisu ofertando cursos de graduação semestralmente, algumas com vagas no meio ou início do ano.

Como fazer a inscrição no Sisu?

A inscrição do Sisu deve ser realizada na página do Sisu em uma única etapa gratuita. Antes de se candidatar é importante se atentar para as datas do processo seletivo, divulgadas no site oficial do programa. São liberados o edital e o cronograma com todas as etapas e como proceder em cada uma delas.

Para se inscrever, o candidato deve possuir o número de inscrição e a senha do Enem. O estudante pode selecionar até dois cursos por ordem de preferência, turno, localidade e instituição. Os cursos poderão ser alterados durante o período de inscrição.

O aluno aprovado deve ter atenção aos documentos para a matricula na instituição sinalizados pelo sistema Sisu, conforme o edital. Já para quem não foi aprovado nas opções de chamada regular (primeira chamada, segunda chamada e lista de suplência), pode ingressar na lista de espera Sisu durante o período especificado no cronograma. Para fazer parte da lista de espera, o candidato deverá acessar o sistema em seu boletim, clicar no botão que corresponde à confirmação para participar da lista de espera do Sisu.  

Quem pode participar do Sisu 2019?

O Sisu é aberto para todos que querem ingressar em uma graduação em faculdade pública, desde que tenham feito a última edição do Enem. Para inscrição em determinados cursos, algumas instituições adotam nota mínima, então se a pontuação do Enem não for suficiente para se candidatar, o sistema envia uma mensagem sinalizando. Nesse caso, o candidato pode tentar outro curso ou instituição. 

O Sisu também garante a reserva de vagas para candidatos. Do total de vagas ofertadas, 50% são destinadas à ampla concorrência e 50% são disponibilizadas aos alunos que optarem pela Lei de Cotas. Somente candidatos que cursaram o Ensino Médio integralmente em escola pública, sendo que, metade das vagas serão selecionadas para candidatos com renda familiar bruta inferior a 1,5 salário mínimo por pessoa. Para candidatos com alguma deficiência comprovada ou autodeclarados como preto, pardo ou indígena (PPI), também possuem direito às vagas reservadas, desde que atendam ao critério acima.

Não fui classificado no Sisu. E agora?

Sisu: moça com dúvidas
Além do Sisu, existem outras formas de ingressar na faculdade.

Existem outros programas do governo como as bolsas de estudo integrais e parciais do Prouni e o financiamento do curso superior pelo Fies em faculdades privadas. Também é possível se inscrever em bolsas de estudo de até 70% de desconto nas mensalidades em programas de iniciativa privada que possuem parcerias com faculdades como o Educa Mais Brasil e o Quero Bolsa.

Prouni

A cada inicio de semestre as vagas para as bolsas do Prouni são bastante concorridas. Quem não quer fazer uma graduação em uma faculdade particular totalmente isento das mensalidades ou pelo menos arcar com a metade das parcelas durante todo o curso? O Programa Universidade para Todos, criado pelo MEC, traz essa oportunidade aos estudantes que não possui condições financeiras, mas deseja progredir com um ensino superior. Se você está interessado em tentar o Prouni leia este artigo até final e saiba como se inscrever.

Marca Prouni
O Prouni oportuniza aos estudantes bolsas de estudo
integrais e parciais de 50% de desconto em faculdades particulares.

As bolsas de estudo são integrais e parciais de 50% de desconto para cursos de graduação, em faculdades da rede particular de ensino que aderem ao programa do governo. Os candidatos contemplados pelo Prouni MEC terão o beneficio garantido durante todo o curso superior, porém é preciso cumprir todos os critérios estabelecidos pelo programa até o fim dos estudos.

Pessoas de qualquer idade podem concorrer a seleção do Prouni, no entanto é preciso ter o ensino médio completo e atender os requisitos exigidos para a inscrição. Dentre eles, o candidato deve ter feito a prova do Enem, ter estudado em escola pública ou ter sido bolsista em escola particular, entre outros critérios que serão mais detalhados a frente. Agora, se você já concluiu uma faculdade e possui um diploma de graduação, infelizmente não poderá entrar no Prouni. Isso porque esse programa é destinado aos estudantes que ainda não têm um diploma de nível superior.

Outro ponto que gera dúvidas entre os estudantes que querem se candidatar é se depois de concluir a graduação ficarão com dividas depois que se formarem. A resposta é não, pois não se trata de um financiamento como o Fies e, sim, são bolsas de estudo, por isso os estudantes não ficam com débitos após a formação e não precisam devolver o valor da bolsa. Vale ressaltar os bolsistas parciais precisam estar em dia com os boletos referentes a outra metade das mensalidades.

Se você estiver com restrição de crédito também pode se inscrever no Prouni, pois não há limitação quanto a participantes que estejam nessa condição. Basta saber das principais informações de ingresso no programa de bolsas de estudo do governo.

Como funciona o Prouni?

As inscrições para se candidatar as bolsas de estudo do Prouni acontecem duas vezes ao ano, sempre a cada inicio de semestre letivo. É necessário ter feito a última edição do Enem e alcançado a nota mínima de 450 pontos, além de não ter zerado a redação. Também deverá ter uma renda familiar de até 3 salários mínimos.

A seleção é parecida com a do Sisu (programa para ingressar em faculdades públicas), então você pode realizar a inscrição em uma única etapa online e gratuita, definir duas opções de curso superior, instituição e turno na ordem da sua preferência. Depois é só ficar acompanhando, durante o período de inscrições, a evolução da nota de corte referente aos cursos escolhidos.  Além disso, é possível alterar os cursos quantas vezes desejar até final do prazo de inscrição, buscando por aqueles em que sua nota seja superior à nota de corte.

Depois de divulgado o Prouni resultados, os candidatos selecionados são contemplados com bolsas de estudo de 50% ou 100% em universidades privadas, conforme atendido todas as regras e de acordo com o critério socioeconômico, como veremos no tópico a seguir.

Quem pode participar do Prouni?

Prouni: três estudantes sentados em frente a uma instituição
Para se inscrever no Prouni, os estudantes precisam estar adequados aos critérios.

De acordo com o site do programa, para participar do Prouni 2019 somente candidatos que se enquadram as regras estabelecidas de público-alvo e socioeconômico. Confira estas condições para poder concorrer a uma bolsa Prouni:

• Ser aluno de escola pública ou bolsista de escola particular

Um dos critérios é ter estudado o ensino médio em escola da rede pública de ensino ou ter na rede privada apenas na condição de bolsista integral.

• Ter feito Enem

É obrigatório ter participado da última edição da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Vale lembrar: conseguir a pontuação mínima de 450 pontos e não ter tirado zero na redação.

• Ser professor de escola pública

Professores da rede pública de ensino podem concorrer a uma bolsa para cursos de licenciatura, normal superior e pedagogia. Não é necessária a comprovação de renda e deve estar no exercício do magistério, integrando o quadro permanente da instituição. Mas, também precisa ter realizado a última edição da prova do Enem e atender ao critério de pontuação mínima exigida.

• Pessoas com deficiência

Ao realizar a matrícula na faculdade, o candidato deve levar os documentos de comprovação, junto com os demais comprovantes pessoais e do perfil socioeconômico.

• Critério socioeconômico  

A renda familiar bruta per capita também entra na analise dos critérios para poder participar do Prouni: até um salário mínimo e meio para bolsa integral (100%), e de até três salários mínimos para bolsa parcial (50%).

Como se inscrever no Prouni?

Agora que você já sabe como funciona e quais são os critérios para se inscrever no Prouni, chegou a hora de saber como faz para se candidatar. Para isso, fique atento ao cronograma do Prouni que é sempre divulgado no site oficial do Prouni. Nele estão as datas do período de inscrições, os resultados da 1ª e 2ª chamada e o prazo para participar da lista de espera mais a divulgação dos contemplados.

Para realizar a inscrição Prouni 2019 é preciso acessar o site do programa e efetuar o cadastro. Serão solicitados dados como CPF e o número de inscrição do último Enem, além de informações sobre o seu grupo familiar. O candidato com deficiência ou que se autodeclarar indígena, preto ou pardo pode optar por concorrer a bolsas destinadas a políticas de ações afirmativas.

Outras opções de bolsas de estudo

Percebeu que o seu perfil não se encaixa nas regras estabelecidas pelo Prouni? Saiba que existem outras opções como sites de bolsas de estudo que oferecem ajuda para arcar com as mensalidades de um curso superior em diversas instituições brasileiras. É só conferir qual tem o beneficio que você mais precisa e começar a estudar.

FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil – Fies é uma alternativa para ingressar nos cursos superiores em faculdades particulares, destinada a pessoas que não tem condições de arcar com as mensalidades. O estudante faz um financiamento a juros menores para o custeio das parcelas mensais que só será pago no final da graduação. A iniciativa faz parte dos programas do governo e tem por objetivo facilitar o acesso de jovens de baixa renda a conquistar o ensino superior.

Com o Fies é possível conquistar a graduação
O Fies é uma forma de conquistar formação superior.

A prática de financiamento da graduação faz parte do setor da educação desde 2001, instituído pela Lei nº 10.260.  Hoje é conhecido como Novo Fies, pois passou por algumas mudanças que se transformou em um modelo de financiamento estudantil moderno com modalidades diferentes. E trouxe diferenciais positivos como a possibilidade de estudo a juros zero atendendo a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. 

Para adquirir o Novo Fies, o candidato matriculado ou não matriculado em um curso de graduação precisa ter avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação (MEC) e estar compatível com os critérios socioeconômicos do programa. Outro requisito para ter mais chance de poder financiar o curso é obter bom desempenho no Enem.

O período de inscrições do Fies é sempre no início de cada semestre letivo. Os candidatos selecionados têm a garantia do benefício até o final da graduação e as condições de pagamento acontecem em duas fases, que começa com a contratação do financiamento e se estende até depois da conclusão do curso. Saiba como funciona:

Fase de utilização

O estudante deverá, durante o curso, pagar mensalmente o valor referente ao encargo operacional fixado em contrato. Além disso, o seguro de vida também deve ser pago durante o financiamento.

Fase de carência e amortização

A partir de 2018 os estudantes não contam mais com o período de carência para iniciar o pagamento da dívida. O candidato já inicia a fase de amortização no primeiro mês após concluir o curso, desde que o estudante possua renda – o pagamento será retido da fonte mensalmente. Caso o estudante não possua renda após a finalização do curso, o financiamento na forma do regulamento do CG-Fies, ou seja, será quitado em prestações mensais equivalentes ao pagamento mínimo.

O MEC estima que o prazo máximo para quitação do financiamento seja de 14 anos levando em consideração que a prestação respeitará a capacidade de pagamento do estudante.

Vale lembrar que o Fies é diferente das bolsas de estudo que também beneficia o estudante que não tem condições de manter as mensalidades integrais de um curso superior. No financiamento, o estudante arca com as parcelas mensais depois de concluir o curso. Já as bolsas de estudo, que podem ser descontos nas mensalidades ou integral, o candidato fica quitado ao concluir o curso, sem dívidas com a faculdade ou programa que aderiu para ter o auxílio.

Modalidades do Fies

Está dividido em duas modalidades:

Novo Fies

Vagas com juros zero para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos. Nessa modalidade, o aluno começará a pagar as prestações respeitando o seu limite de renda, fazendo com que os encargos a serem pagos pelos estudantes diminuam consideravelmente.

P-Fies

Destinado aos estudantes com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. A referida modalidade funciona com recursos dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento e ainda, com os recursos dos Bancos privados participantes.

Quem pode fazer o Fies 2019

Para conseguir o financiamento de um curso superior é preciso ter realizado a prova do Enem a partir de 2010 e obtido uma pontuação mínima de 450 pontos, além de não ter zerado a redação. O curso da instituição de ensino para qual o candidato pretende obter o financiamento deve ter uma avaliação positiva pelo MEC. Bolsistas parciais do Prouni também podem participar do Fies, por meio do financiamento do valor restante da mensalidade.

Inscrições Novo Fies

A inscrição do Novo Fies acontece a cada começo de semestre e o candidato deve acessar o site do Sistema Informatizado do Fies – SisFies e realizar as quatro etapas de seleção: preenchimento dos dados pessoais do estudante, validação das informações na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) até a contratação do financiamento no banco. Confira o passo a passo:

1- Acesse o site do SisFies, se cadastre com os dados solicitados e aguarde o e-mail de validação do cadastro;

2 – Depois de pré-selecionado acesse o site do SisFies e realize a inscrição no prazo de até cinco dias, informando os dados de financiamento a ser contratado;

3 – Após a inscrição, valide as informações na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino no prazo máximo de dez dias;

4 – Depois da validação das informações, compareça ao banco para contratação do financiamento no prazo máximo de até dez dias, que será contato a partir do terceiro dia útil de validação pela CPSA.

Aditamento Fies

O aditamento do Fies é a renovação do financiamento estudantil que ocorre a cada semestre. O beneficiado receberá a solicitação da Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) para o aditamento de renovação semestral. Esse processo deve ser realizado no portal SisFies e depois confirmar se as informações de curso e valores da semestralidade lançadas no SisFies estão corretas.